Entre um voo e outro com Willians Mischur: Santorini e casamento grego

Estudiosos apontam que a ilha de Tera, destruída por uma enorme erupção vulcânica há cerca de 3.600 anos, pode ter sido a mítica cidade perdida de Atlântida – cuja suposta criação seria um presente de Poseidon, o Deus do Mar, para sua amada Clito. Hoje, esse pequeno recanto no mar Egeu atende pelo nome de Santorini – um paraíso grego repleto de lendas e belezas naturais que eu, Willians Mischur, tive a oportunidade de conhecer recentemente.

Tão icônica por suas paisagens vulcânicas selvagens quanto por suas aldeias brancas no topo da falésia, Santori é – sem dúvidas – um dos destinos turísticos mais populares na Grécia. Mas, não se assuste. A ilha não é apenas o que os cliques pelas redes sociais revelam ao mundo: é um lugar normal como qualquer outro. Logo, não tenha medo de incluir Santorini em seu roteiro de viagem. No entanto, planeje-se com antecedência, pois o alto custo local exige organização.

Atente-se para os períodos de baixa temporada (em julho e agosto os preços são bem salgados), pesquise hotéis (alguns são administrados por rede, outros pelo próprio dono), avalie restaurantes e adapte a rota ao seu bolso. Por exemplo, a capital da ilha – que também é sua maior cidade – é Thira (ou Fira), conhecida por abrigar hotéis e restaurantes mais econômicos.

Vista noturna de Santorini – Crédito Willians Mischur

Inclusive, dois dias na ilha já são suficiente. Santorini não é exatamente um destino de praia. Ainda assim, existem algumas por ali. A mais interessante é a Red Beach, que apresenta areias pretas com nuances avermelhadas. Só que ela é areia vulcânica e aquece muito, o que exige atenção. Não será difícil ver pessoas que caminham com os pés descalços pulando na areia quente.

Quer tirar fotos diferentes? Escolha pontos estratégico e levante muito cedo, caso contrário contará com turistas indesejados como personagens nas suas imagens tão estimadas. Lá, o calor é muito intenso. Nem adianta lotar a mala de roupas que não serão usadas depois. Looks para fotos podem não ser looks práticos. Um sorvete pode ajudar a aliviar a temperatura. Ir no restaurante Lefkes para saborear diversos doces e seu clássico cordeiro também é imperdível.       

A propósito, gosta de caminhar? Santorini é bem extensa e carros não circulam por lá. Apesar de existir aluguel de moto e quadriciclo, grande parte dos passeios tem que ser feito a pé. Ou seja, você deverá explorar a ilha por conta própria. Tanto que recomendo você encarar o hotel como um ponto de descanso voltado apenas para dormir. Você, provavelmente, acordará cedinho e só voltará para concretizar as horas diárias de sono – recarregando as energias para o próximo dia.

Vale destacar que passear de Thira até o vilarejo de Oia (pronuncia-se “Ia”) a pé é percorrer um caminho onde surpresas encantadoras – como portais coloridos e escadarias peculiares – aguardam você em quase todas as curvas. E já vou adiantando: Oia é o vilarejo mais bonito da ilha. É ali que estão aquelas igrejinhas de cúpulas azuis que se transformam em cenário para o pôr do sol mais incrível do universo.  

Quando chega perto desse horário, milhares de turistas surgem nessa área para contemplar esse espetáculo da natureza. Se quiser fugir da multidão, aproveite o fim da tarde para participar de uma excursão de barco pelo mar Egeu. Eu, Willians Mischur, não perdi a oportunidade de pegar um catamarã para visitar as ilhas ao redor. Terminar esse passeio com o pôr do sol é surreal. Nunca vi algo como isso.

É como se o astro rei emanasse sua luz com toda força acima das nossas cabeças, virasse uma espécie de bola de fogo capaz de colorir o céu de laranja e saísse de cena no horizonte ao entrar elegantemente na água. Sem dúvidas, inesquecível!

BODAS DE PRATA – Quem não gostaria de casar tendo como cenário cinematográfico esse pôr do sol para lá de romântico? Essa energia sedutora e mística que conduz tantos casais também nos guiou até Santorini. Mais especificamente, o terraço do White Pearl Villas. Localizado na ponta extrema de Oia, o hotel que nos hospedamos foi o local em que celebramos nossas Bodas de Prata.

Ao lado de nossos três filhos, renovamos nossos votos em uma cerimônia particular e bastante pessoal. Para tornar esse momento ainda mais especial, contratei um violinista para embalar a trilha sonora e um fotógrafo para registrar em imagens aquilo que o coração sentia no momento. No terraço, uma igrejinha se fundia com a paisagem incrível ao redor. Pétalas de flores adornaram o chão que foi palco da nossa comemoração intimista. 

Nossos filhos foram os responsáveis pelas palavras de paz e amor que nos fizeram sentir mais próximos do céu. Cada um teve sua fala e, no fim, estouramos um champagne em prol dos nossos 25 anos de casado – e, claro, pelos próximos 25.

Para além da magia da data, vale reforçar a importância da pesquisa. Optei por uma versão simples de pacote de casamento e, mesmo assim, certos itens permaneceram caros. Por exemplo, não há flores por lá. Elas vêm de fora, o que eleva o custo. Se for entrar nessa jornada, delimite seus gastos e não deixe que um momento importante se torne um pesadelo.  

Sou Willians Mischur. Brasileiro, esposo, pai, empresário, fotógrafo, coach, aficionado por viagens e um eterno sonhador.

Entre um voo e outro, vem comigo! Próxima parada: ferry boat e Mykonos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *