Entre um voo e outro com Willians Mischur: Modena, a terra dos motores

Capital italiana do motor, Modena não ficou de fora do radar durante minha última viagem pela Itália. Não à toa, a comuna e as demais províncias da região da Emilia-Romagna, no norte do país, abrigam (ou já abrigaram) fábricas das mais famosas marcas italianas de automóveis esportivos: Ferrari, Maserati e Lamborghini. Eu, Willians Mischur, aproveitei para percorrer essa rota e conferir de perto tal paixão nacional pelos carros esportivos.

Vocês sabiam que Modena é onde tudo começou para a Ferrari? A comuna tanto é berço de nascimento de Enzo Ferrari quanto de sua primeira oficina em 1929: a Societa Anonima Scuderia Ferrari. Hoje, boa parte dessa história está exposta no Museo Enzo Ferrari, no centro de Modena. Nele está uma coleção de motores Ferrari, dos experimentais (como um 3 cilindros, de 1994) aos V8, V10 e V12 da Fórmula 1 de diferentes épocas.

Mas, engana-se quem pensa que o empreendimento – que ocupa dois prédios – vive apenas do passado. Há muita modernidade ali. Enquanto um prédio representa uma construção típica da região (com tijolos aparentes), o outro é super futurista e conta com um telhado amarelo-Ferrari. Inaugurado em 2012, o projeto leva a assinatura do arquiteto tcheco Jan Kaplicky e engloba a estrutura central do museu – bilheteria, restaurante, café, área das exposições e loja de suvenires.

Quem visitar o local terá o privilégio de participar de uma experiência bastante sensorial: assistir a projeção de filmes em suas paredes, teto e piso do pavilhão. Ao todo, 19 projetores exibem as imagens em intervalos de meia-hora. Interessados podem garantir o ticket para o passeio via site oficial deles (https://musei.ferrari.com/en/modena).

Já, em Maranello, está o Museo Ferrari. Nele, você pode ter o gostinho de vivenciar o que seria dirigir um carro de F1 por meio de dois simuladores semi-profissionais, que apresentam os circuitos mais famosos: Monza, Barcelona, Silverstone, Ímola, Nürbürgring, Zandvoort, SPA Francorchamps e Mugello. Isto, além de conferir parte da coleção da marca e outros detalhes históricos. O ticket pode ser adquirido pelo site oficial deles (https://musei.ferrari.com/en/maranello) .

A propósito, se você é amante de carros esportivos, também vale a pena dar um pulo no Museu Maserati, bem como ver a CUP (Coleção Umberto Panini), que conta com 19 carros Maserati antigos. A CUP está localizada dentro da fazenda orgânica Hombre da família Panini, nos arredores de Modena, entre Baggiovara e Cognento. Você pode garantir o tour pelo site oficial deles (www.paninimotormuseum.com).

Outra boa opção é o Museu Lamborghini, hoje conhecido como Museo delle Tecnologie (Mudetec). Lá, você confere desde as primeiras criações visionárias de Ferruccio Lamborghini, como o Miura e o Countach, até os super carros mais recentes e exclusivos, como o conceito híbrido Asterion, os poucos Centenario, o Huracán Performante e o Aventador SVJ. Saiba mais pelo site oficial deles (https://www.lamborghini.com/en-en/experience/museum).

VINHO E MÚSICA CLÁSSICA – Eu, Willians Mischur, adoro vinhos. Tanto que procurei saber um pouco mais sobre a origem do Lambrusco em Modena. Foi em 1860 que Cleto Chiarli, fundador da vinícola que até hoje carrega seu nome, passou a se dedicar exclusivamente à produção da bebida. Ele se tornou o responsável por tornar o vinho mundialmente conhecido ao conquistar o prestigiado prêmio de “Menção Honrosa” durante a Exposition Universelle, na França.

Até então, ninguém tinha experimentado o Lambrusco fora da Itália. Nos anos seguintes, a vinícola ultrapassou fronteiras e também a produção de mais de um milhão de garrafas por ano. Suas adegas e área de produção estão abertas para visitas, que podem ser agendadas por meio do site oficial deles (https://www.chiarli.it). Um passeio gastronômico bem interessante.

Outro grande representante de Modena faz morada no universo da música clássica. Trata-se do tenor lírico Luciano Pavarotti, um dos responsáveis por popularizar a ópera para o mundo. Quem é fã do artista pode conferir a Casa Museo Luciano Pavarotti, que reflete a personalidade de seu dono famoso e apresenta sua coleção particular de recordações, roupas e prêmios reunidos ao longo de sua longa carreira. Mais informações em https://www.casamuseolucianopavarotti.it .

MODENA EM UM DIA – Agora, se você tem pressa e quer explorar o que há de melhor em Modena, aconselho que seu ponto de partida seja o Tempio dei Caduti, imponente exemplo de construção do estilo neorromânico. Dali, virando à esquerda, estará o Museo Enzo Ferrari. Em direção ao centro histórico da comuna, diversos palácios do século XVIII podem ser contemplados ao longo da rua Vittorio Emanuele, como o Palazzo D’Aragona Coccapani.

No fim da rua, encontra-se também o Palazzo Ducale, um dos maiores palácios barrocos da Itália, antiga sede do duque durante os séculos em que Modena foi capital. À direita, está a Piazza San Domenico e a Piazza Roma, local de onde você pode admirar a extraordinária fachada do Palazzo Ducale.

Ao caminhar pela elegante Via Farini, existe uma rua que corta o centro em duas partes: a Via Emilia. À direita, você encontra a bela Piazza Mazzini. A praça fica em frente ao Palazzo Comunale (Câmara Municipal) e ao site da Unesco. Você também pode aproveitar para visitar a milenar Catedral (Duomo) de Modena, uma obra-prima com sua maravilhosa torre de sino Ghirlandina. Tesouros da Catedral se encontram no Museo del Duomo di Milano.

Nas proximidades da Piazza Grande, o mercado coberto de Albinelli revela os segredos gastronômicos da mundialmente famosa cozinha típica de Modena. Se sobrar tempo, visite o Mosteiro de San Pietro, a Piazzetta San Giacomo, Piazza e a Igreja de Sant’Agostino, a Igreja de San Barnaba, a Galleria Estense, o Musei Civici, a Piazza della Pomposa, o Foro Boario, a Palazzina dei Giardini Ducali, o Palazzo Santa Margherita e Teatro Comunale Luciano Pavarotti, entre outros.

Em Maranello, metade de um dia já é o suficiente para contemplar a cidade. Para além do som dos motores de carro, Maranello traz em seus pontos turísticos a Chiesa Di San Biagio, o Castello di Maranello e a Mabic (Maranello Biblioteca Cultura), que abriga reuniões, exposições e atividades culturais durante todo o ano. Projetado por Arata Isozaki e Andrea Maffei, o Mabic apresenta uma belíssima forma sinuosa aliada à transparência.

Sou Willians Mischur. Brasileiro, esposo, pai, empresário, fotógrafo, coach, aficionado por viagens e um eterno sonhador.

Entre um voo e outro, vem comigo! Próxima parada: Florença, o berço do Renascimento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *