Entre um voo e outro com Willians Mischur: por que viajar?

Dizem que para conhecer melhor os diversos ângulos da vida precisamos estender as nossas fronteiras, ultrapassar oceanos, falar outras línguas, abraçar outros povos e respeitar suas culturas – aprendendo com elas.  

Se a vida é essa grande jornada, viajar é alcançar a plenitude da nossa essência. É entrar em contato com a nossa alma e saber quem somos de verdade. Até porque há um mundo novo a cada parada – outro tempo, outra história, outra versão nossa que se constrói.     

E, não importa o destino, todo turista sempre volta. Volta diferente. Volta com bagagem. Volta com outro olhar. Volta com a chance de assimilar aprendizados e evoluir.  

Passeio na França – Crédito: Willians Mischur

Por vezes, as fotografias se tornam uma espécie de diário de bordo que escrevemos ao longo dessa jornada. Elas são – antes de tudo – um testemunho e apresentam diversas versões nossas espalhadas por períodos diferentes.  

Cada foto conta e guarda, ao seu modo, um pedaço da nossa história. Revelam hábitos, momentos e declaram que “nós estivemos aqui. Existimos”. Mas, seu valor não se resume apenas ao que as imagens nos mostram e, sim, às perguntas que elas nos estimulam a fazer.  

Abrir o baú – seja por meio do feed do Instagram ou dos arquivos guardados na nuvem – significa também abrir um portal para a reflexão. Nem todo mundo está preparado para enxergar além. Só que o convite, mesmo que invisível, está ali. Feito.     

Viagem de navio com a família nos Estados Unidos – Crédito Willians Mischur

Já olhou para uma foto e se perguntou quem era aquela pessoa desconhecida que apareceu ao fundo? Ou melhor, quem era você naquele momento? O que estava pensando naquela ocasião? Qual é a história daquele cenário? Qual sentimento foi eternizado em um clique?  

Ao mesmo tempo, elas instigam motivos – até então – secretos. Por que escolheu visitar determinada cidade e país? O que levou você para aquela aventura? O que estava buscando naquele momento da sua vida? Tudo aquilo foi fruto do acaso ou é resultado de algo maior?  

Em seu livro “On The Road”, o escritor Jack Kerouac questiona o leitor – por meio de um de seus personagens – com a seguinte frase: “qual é a sua estrada?”. Ele pondera que há sempre uma estrada em qualquer lugar, para qualquer pessoa, em qualquer circunstância.  

Cordilheira dos Andes no Chile – Crédito: Willians Mischur

O autor, em outra situação, declara que “no fim, você não vai lembrar do tempo que passou trabalhando em um escritório ou cortando a grama”. E recomenda: escale a montanha! Apesar de ser um conselho um tanto quanto inusitado, ele traz algo sincero.  

Todo dia é uma nova chance para embarcar rumo ao desconhecido e transformar sonhos em realizações. Basta mentalizar, planejar e fazer acontecer.  

A propósito, qual é a sua estrada? Qual é o seu próximo destino? Qual é a sua história? 

Se você está entre viagens, na fase de planejamento ou procurando ideias e dicas de última hora, chegou ao lugar certo. Se está apenas em busca de inspiração, será uma honra receber você por aqui e contribuir um pouco para essa missão.   

Sou Willians Mischur. Brasileiro, esposo, pai, empresário, fotógrafo, coach, aficionado por viagens e um eterno sonhador.  

Entre um voo e outro, vem comigo! Próxima parada: sair da zona de conforto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *